No mundo dos vinhos, cada país produtor desenvolveu ao longo do tempo o cultivo de certa casta de uva com mais sucesso do que outras, devido a fatores como tipo de solo e clima. A variedade específica é tão importante na produção vinícola de um país ou região que acaba por se tornar a expressão maior da sua vitivinicultura. A Argentina tem a Malbec; a Austrália, a Syrah; a Espanha tem a nobre Tempranillo; e em Portugal, a Touriga Nacional é a mais nobre das castas.

Rainha das uvas tintas portuguesas, a Touriga Nacional é a casta símbolo da terra dos grandes poetas Camões e Pessoa. Sua nobreza tem origem nas terras da região de Dão, um importante reduto vinícola do país lusitano, mas seu cultivo há muito tempo ganhou importância em todo o território nacional, indo do Alentejo ao Douro.

E seu sabor foi além, tornou-se internacional, já que países do Novo Mundo como Austrália, Estados Unidos, Chile e África do Sul, além da Espanha, passaram a produzir vinhos de excelente qualidade com esta variedade de uva.

O consultor de vinhos do Big Lar, Roberto Corrêa, sugere o tinto João Pato Touriga Nacional para apreciar. “O genial Luis Pato elabora este delicioso Touriga Nacional na região da Bairrada em um estilo moderno e cativante, provando que é possível oferecer belos tintos desta famosa casta com uma excelente relação qualidade/preço”, destaca o consultor.

Em 2005, a vinícola mudou o perfil deste vinho usando a Touriga Nacional como casta dominante, assim como o processo de vinificação, criando um vinho de consumo imediato. A bebida apresenta aromas de violetas e cerejas com um toque de morango e amora e é ótimo para acompanhar com peixes cozidos de forma simples e também com carne grelhada.

Também de Touriga Nacional, o TN by Rui Reguinga Touriga Nacional tem aroma com notas de leve tosta de barrica e frutos vermelhos vivos mas maduros. Elegante e distinto, é bem proporcionado na boca, com taninos muito finos mas bem presentes, conjunto requintado.

Outra sugestão saborosa do especialista é o vinho tinto Quinta do Noval Black, que se apresenta como uma nova forma de beber vinho do Porto. Um vinho de uma nova era concebido para ser acompanhado de chocolate negro ou simplesmente bebido fresco, usado também como ingrediente em cocktails. “Um ótimo início para a nova geração de apreciadores de vinho do Porto.De cor rubi intensa, com ótima expressão aromática, jovem e frutado. Revela-se no nariz intensamente floral e fresco”, completa Roberto.

O vinho Cartuxa Évora Tinto agrega as uvas Afrocheiro, Aragonez, Castelão, Moreto, Tinta Caiada e Trincadeira. De cor granada, aroma evoluído, nota-se a presença da casta Trincadeira misturada com as notas quentes da planície alentejana.

Boa prova de boca, tudo muito afinado, floral e cheio. Este vinho, embora possa ser consumido desde já, apresenta potencial para envelhecer. Estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês. Associaa sua qualidade ao nome dos monges Cartuxos, que desde 1587 levam uma vida solitária de oração no Convento de Santa Maria Scala Coeli, em Évora.Foi produzido pela primeira vez em 1986.

 

1. Vinho Cartuxa Évora Reserva Tinto 

Uvas: Afrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez, Trincadeira

País: Portugal

Região: Évora

 

2. João Pato Touriga Nacional 

Uvas: Touriga Nacional, com uma pequena parcela de Baga

País: Portugal

Região: Bairrada

 

3. Quinta do Noval Black

Uvas: Tinta Cão, Tinta Roriz, Touriga Nacional

País: Portugal

Região: Porto

 

4. TN Rui Reguinga

Uvas: Touriga Nacional

País: Portugal

Região: DAO