Entre as frutas tropicais mais procuradas do mundo, a manga é versátil, com sabor que se acomoda desde as entradas de um cardápio a sobremesa. Consumida ao natural, pode ganhar outras versões como refresco, sorvete, doce, picles, temperos de carnes, saladas e até chutney. Basta a imaginação do entusiasta da cozinha indicar. 

Rica em vitaminas A, C e D, a manga  possui um bom teor de carboidratos, Betacaroteno (provitamina A), Vitaminas do Complexo B, Ferro, Fósforo, Cálcio, Potássio, Magnésio e Zinco.  Estudos apontam que a manga ajuda a purificar o sangue e é um bom diurético.

Cultivada na Ásia, mais precisamente na Índia, sua região de origem, há mais de 4 mil anos, a manga chegou no Brasil por volta de 1700, segundo  o estudioso Pimentel Gomes. Foi a Bahia que recebeu as primeiras mudas de mangueiras indianas. Dali, foram para o México no século 19, de onde atingiram a região da Flórida.
Os portugueses, mais uma vez, fizeram o trabalho de levar  as mangas, primeiro, para as costas leste e oeste da África trazendo-a, depois, para a América.

A mangueira foi a árvore asiática que melhor se adaptou ao clima brasileiro, produzindo diversas  variedades e sendo facilmente encontrada em cultivo na Amazônia e nas regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Em Cuiabá, elas reinaram absolutas nos quintais. Com a modernização da cidade, em que os amplos quintais foram reduzidos, elas ainda persistem aqui e acolá.  Diferentes mangas podem ser encontradas em chácaras e fazendas, em pomares urbanos e rurais. Também compõem espaços públicos como parques e avenidas.

Na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, as mangueiras eram tantas que acabaram dando o nome a um bairro, a uma parada de trem e a uma escola de samba: a “verde e rosa” Estação Primeira de Mangueira.
Árvores frondosas, de bastante longevidade e de frutificação abundante, delas brotam as mangas: frutas de polpa carnuda, perfumada, consistente, cheia de água e doce. De variados  tamanhos, formatos, sabores e cores.

Nos livros encontram- se referências que variam entre um número de 500 e 1000 variedades existentes. As espécies mais conhecidas são a manga-espada, a rosa, a carlota, a bourbon e a coração-de-boi. No Brasil, as mangas são também encontradas em grande diversidade.