Eles já não são mais o detalhe de uma festa. Roubaram a cena e se destacaram, receberam novos suportes, ingredientes e formatos. Os doces de festas estão cada vez mais bonitos e saborosos. Os tradicionais ainda possuem seu espaço cativo, mas são as novidades que estão enchendo os olhos daqueles que querem uma festa impecável. São os doces ditando a tendência. Harmoniosos com a decoração, essas guloseimas se transformaram sem deixar de lado o sabor.
Muitas vezes, a mesa de doce conta uma história, especialmente quando mistura gostos de várias gerações, desde os tempos da vovó aos dias de hoje. Quem não se lembra das festas apenas com brigadeiros e beijinhos? O brigadeiro continua agradando, mas ganhou releituras e hoje é oferecido em diversos sabores, dos regionais aos globais. A chef Giane Muniz, formada em Gastronomia na Califórnia (EUA), conta que o universo dos doces permite muitas criações e experimentos. Para se ter uma ideia, Giane elabora brigadeiro em 35 sabores, como nozes, pistache, pequi e capim santo.
Sua predileção é utilizar frutas diferenciadas. Pequena, bonita, delicada e de sabor ácido, a physalis enche de elegância as mesas requintadas do país. Pura ou acompanhando o chocolate, em fascinante contraste de cores e sabores, é nativa das regiões temperadas e tropicais, em que a parte comestível é protegida por uma delicada folha seca, assemelhada ao papel de arroz. A cor da fruta vai do amarelo ao verde, passando pelo vermelho. O chocolate segue a tendência. O sabor da vez é o meio amargo, permitindo diversas combinações. Juntos, physalis e chocolate se apresentam como dos deuses.
O paladar infantil também dita moda. Coloridos e gostosos, os macarrons estão cada vez mais frequentes nas mesas de doces. Apesar de seculares, foram elaborados num monastério italiano e levados para a França por Catarina de Médici, ficaram conhecidos, ganhando status de sofisticado. Em Cuiabá, ocupa lugar como hit da temporada.
O formato também recebe influências. O doce pode se transformar numa bolsa Chanel em miniatura, sapatinhos de boneca, enfim, o que a criatividade permitir. Nas festas infantis e de adolescentes, a personalização dos doces encanta. São formatos que seguem o que a decoração determina, e haja domínio de quem modela esses delicados quitutes adocicados. E depois de tantos cuidados, eles não podem simplesmente ficar acomodados nas bandejas. Pedem um suporte à altura. Doces mais cremosos são dispostos em verrines (minitaças) e os mais firmes, em criativas forminhas.
Para cada convidado recomenda-se cinco unidades de doce. Mas a paixão por eles é tamanha que muitos anfitriões dobram essa medida. Giane sugere a disponibilização de caixinhas ou embalagens para que os convidados levem doces para casa elegantemente. Uma forma delicada de agradecimento.