O fechamento de comércios e as restrições de funcionamento ainda são realidade no país devido à Covid-19 e, muitas vezes, essas novas regras fizeram com que bares e restaurantes precisassem procurar um plano B para minimizarem os impactos. Só em 2020, segundo a Abrasel, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, 300 mil estabelecimentos fecharam as portas, sendo que três em cada dez destes são voltados à alimentação fora do lar no país.

Mesmo assim, muitos ainda estão lutando para sobreviver, aderindo a novas tendências de gestão como dark kitchens, delivery, sistemas de retiradas. Pensando nisso, Mauro Bizatto, CEO da Donus, plataforma de serviços financeiros da Ambev para pequenos e médios varejistas, elaborou um material com cinco ideias essenciais para se manter funcionando nesse período instável.

  1. Escolha uma plataforma

Antes de tudo, é importante decidir um lugar. Como os clientes vão realizar seus pedidos? Por onde vão avaliar todos os produtos disponíveis e indicar o endereço de entrega? “Para isso, existem dois exemplos simples para se trabalhar com entregas: aplicativos de mensagem e plataformas de delivery”, explica o especialista. Por aplicativos de mensagem, o empreendedor pode receber o contato dos clientes e enviar o seu cardápio completo de produtos para o interessado. Já nos aplicativos de delivery, após fazer o contato e ter seu cadastro aprovado, o cardápio eletrônico fica disponível e o consumidor consegue ver, escolher e comprar pelo mesmo local, sem depender de respostas do vendedor.

  1. Certifique-se de que tem acesso rápido à internet

“Chamadas telefônicas estão ficando para trás”, conta Mauro. “Dependendo da região do Brasil em que você reside, possivelmente as plataformas de delivery já estão dominando o mercado. Por isso: junte-se a elas. Para que você consiga coletar o pedido de seus clientes, seja por uma plataforma específica ou por aplicativos de mensagem, é importante que você esteja sempre conectado e responda rapidamente a seu consumidor”, explica. Com um atendimento mais rápido e eficaz o consumidor entende o status do pedido e confia que sua encomenda vai chegar em breve. Procure mantê-lo sempre informado, indicando se o produto está em produção, pronto para ser entregue, quando já saiu para a entrega e se já está rumo à casa do consumidor.

  1. Providencie sua maquininha de cartão

Outro ponto importante é trabalhar com maquininha de cartão nas entregas. Está cada vez mais raro encontrar quem ande com dinheiro na carteira. As maquininhas mais compactas são as ideais para esse tipo de dinâmica. É sempre importante acompanhar as tendências e tomar cuidado para não ficar para trás. Muitas vezes, dificuldades na realização do pagamento podem afastar clientes e diminuir a recorrência na realização de pedidos.

  1. Conte com uma boa equipe de entregas

Ter uma equipe de entregas pode acontecer de diferentes maneiras. “Você pode contratar um colaborador para realizar as mesmas, trabalhar com empresas de entrega terceirizadas ou até mesmo contratar freelancers para o trabalho”, afirma o CEO. Além disso, algumas plataformas de delivery já contam com sua própria equipe de entregadores em algumas cidades. Assim, você não precisa se preocupar com essa logística e facilita o seu dia-a-dia.

  1. Embale bem seus produtos

Por último e não menos importante, é essencial pensar em embalagens úteis, que cuidem dos produtos que são entregues. No caso de bebidas ou molhos, por exemplo, o empreendedor deve se atentar para que os recipientes não vazem durante o transporte. Além disso, atualmente, existe um agravante, o coronavírus, que pode sobreviver até dois dias em embalagens plásticas. “Por isso, opte por embalagens de papelão, quando possível, e siga todas as medidas recomendadas pelas entidades de saúde”, reforça Mauro. Com essa medida, o tempo de sobrevivência pode baixar para 24h. Isso significa mais segurança para todos.