O café preparado na hora exala no coador de pano um aroma peculiar, do grão enraizado de lembranças. E para acompanhar, bolos e biscoitos de queijo recém-saídos do forno. Um recorte de nostalgia, repleto de sabor. E essa experiência é vivenciada na correria da capital. Mais precisamente no Bem da Roça, antiga Arte da Roça, que apenas trocou de nome por questões de registro, conservando sua essência e seus idealizadores.

Bem da Roça apostou no frescor dos alimentos, nos significados, nas vivências sensoriais. Seus diretores, Telma Regina e José Luiz Bezerra, valorizam a comida saudável, feita com ingredientes de qualidade. Tanto assim que percorrem o Brasil garimpando sabores originais e os melhores produtores de matéria-prima, prezando pela produção artesanal, dos artesãos da gastronomia. Para se ter uma ideia, os queijos são trazidos da Serra da Canastra, em Minas Gerais. Apaixonada por gastronomia, Telma coloca a mão na massa e essa dedicação é percebida na primeira mordida. “Bem da Roça cresceu com qualidade, com respeito e carinho aos nossos clientes, cujos paladares são exigentes”, conta ela.

No rico cardápio da casa, o Café da Roça, uma ideia de Telma, se destaca. Nele, o comensal redescobre o prazer de apreciar o cafezinho coado na hora, e a diversidade dos bolos de queijo brasileiros, acomodados numa charmosa bandeja. “O café é servido com o bolo goiano, mineiro, cuiabano e tem também com a chipa, tradicional em Mato Grosso do Sul com origem paraguaia”, pontua Telma. Os quitutes são feitos diariamente, afinal o conceito de alimentação saudável e sem conservantes exige tal produção. Basta chegar no Bem da Roça que o perfume de bolos encanta os sentidos.

Goiana, Telma cresceu em Mato Grosso do Sul. De família com essência mineira e goiana, seguiu sua sensibilidade para a arte de cozinhar. Decidiu resgatar costumes alimentares e apresentar uma opção diferenciada para o lanche, que depois alcançou o almoço. A iniciativa deu tão certo que o espaço foi ampliado e agora a cozinha será aumentada. “Valorizamos o processo cultural da feitura do prato, dos produtos originais”, comenta ela. Em viagem para o Nordeste, descobriu o sabor peculiar do doce de caju produzido em Natal. E claro, trouxe-o para suas prateleiras. “Quero que o Bem da Roça seja um mosaico de sabores, com opções de delícias produzidas em cada canto do país”, acrescentou.

Em 24 de junho, Dia de São João, a casa apresenta uma tradicional festa junina. Para tanto, Telma viajou para Minas Gerais em busca do fubá de milho artesanal para embasar os quitutes tradicionais da ocasião. São gostosuras como pamonha, curau, cocada, bolo de milho, entre outras especialidades. Os convites serão vendidos antecipadamente.

Depois da nossa dica, que tal um cafezinho?