Gostar de cozinha não é suficiente para abrir seu próprio negócio gastronômico, para empreender é preciso pensar no negócio como um todo e planejar para que cada área seja desenvolvida harmonicamente.

Para a docente, consultora e gastrônoma Adriana Almeida, Empreender no mercado gastronômico exige atenção desde a compra de matéria-prima até a higienização do espaço, bem como saber precificar sua mercadoria.

“Um dos mercados em ascensão é o de entregas de marmitas fit. Nele, por exemplo, é comum a empreendedora pensar apenas no cardápio e esquecer de todo o trabalho que essa área envolve. Entre os principais pontos deixados para trás é possível elencar a escolha da matéria prima, a armazenagem, a precificação, a embalagem, a descrição exigida pelo órgão de controle, definição de público alvo, a divulgação e a entrada no mercado. Essas questões são algumas que precisam ser respondidas antes de investir no mercado” comenta a docente.

Adriana elencou dicas para quem quer dar os primeiros passos para o empreendedorismo gastronômico:

– Crie uma planilha com cada serviço
– Saiba quais são seus fornecedores
– Equipamento necessário para a produção
– Avalie a melhor embalagem para cada refeição
– Avalie o ambiente de armazenagem dos alimentos
– Crie metodologias estratégicas para ser diferenciado
– Pense na estratégia de entrega
– Faça o calculo de qual é o custo/benefício de cada alimento
– Crie o cardápio

Transporte, gás, agua, luz, telefone, hora trabalhada, embalagens, etiquetas também devem ser levados em consideração na hora de precificar seu produto. A consultora alerta para o momento de criar o cardápio, para ela é imprescindível definir qual será o segmento gastronômico será adotado, tendo em vista que muitos alimentos não podem ser preparados no mesmo ambiente.

Adriana Almeida. formada pela escola de gastronomia IGA- Tijuca – Rio de Janeiro, organiza cursos em território nacional para quem deseja ingressar nesse ramo.